IOP é Resultado Comprovado

Redução de custos com aumento de eficiência são dois resultados comprovados da Tecnologia IOP, focada em aplicação em baixa vazão.

Quando falamos em Resultados com a Tecnologia de Aplicação em Baixo Volume, só quem provou da Tecnologia IOP sabe do que estamos falando. Seu diferencial frente ao que existe disponível no mercado de adjuvantes atualmente permite baixarmos o volume de calda aplicada com a segurança da gota protegida, pelo alto poder de controle na evaporação, pela alta capacidade de flexibilidade de misturas em caldas concentradas e pelo alto poder de dispersão da gota aplicada sem a separação do óleo e da água, pois os aditivos dos adjuvantes são específicos e trabalham em sinergia com o óleo de milho INPASA.
Especialistas realizaram testes a campo para avaliar os resultados de colheita. Tudo isso para mostrar a você, produtor, que é possível reduzir significativamente seus custos com segurança e melhor resultado de controle, utilizando uma menor taxa de aplicação tanto em pulverização terrestre como aérea.

É por isso que a Tecnologia IOP investiu em pesquisas científicas, testes a campo junto a especialistas e ainda acompanhou e colheu resultados de clientes.

Alta capacidade de dispersão da gota aplicada sem a separação do óleo da água

A capacidade de emulsão é um dos requisitos para poder trabalhar com óleos vegetais, já que óleo e água se separam naturalmente. Mas mesmo em caldas com boa emulsão, se não existir a combinação entre aditivos que promovam a quebra da tensão superficial, quando a gota é aplicada sobre a folha ela acaba separando a água do óleo, formando o “ovo frito” onde o óleo fica concentrado como se fosse a gema e a água dispersa como se fosse a clara. Todos os adjuvantes trabalham na dispersão da água e quando adicionamos óleo + adjuvante em uma mistura de tanque provocamos a separação na gota aplicada, o que não acontece com a Tecnologia IOP, pois os aditivos dos adjuvantes já estão adicionados ao óleo de milho INPASA, promovendo uma dispersão uniforme e na mesma velocidade sobre a superfície da folhada aplicada, como ilustra a figura abaixo:

Óleo emulsionado ("ovo frito").

Tecnologia IOP.

O óleo da IOP é, sem dúvidas, um produto que apresenta características de boa emulsão com os produtos fitossanitários.

Melhor cobertura - menos água.

Mínimo de água possível, mínimo de deriva.

A Tecnologia IOP traz para o mercado a segurança e o respaldo técnico aprovado por especialistas para o adequado uso da tecnologia de aplicação em baixos volumes de calda, sendo o primeiro e único produto a unir óleo e adjuvante, proporcionando equilíbrio e sinergia das distintas características, gerando segurança, rendimento operacional, controle biológico e alta performance de aplicação, mesmo em condições adversas.

Com IOP é melhor ainda

Potência de aplicação em baixo volume

No gráfico a seguir, em campos de teste acompanhados por Lucas Navarini, utilizou-se a Tecnologia IOP em comparação com outras duas linhas líderes de mercado, muito utilizadas comumente. Os resultados em menor volume da calda aplicada evidencia que quando há a adição da Tecnologia IOP, os resultados ficam acima de todos os concorrentes, mostrando que com IOP, é melhor ainda.

Fonte: Dr. Lucas Navarini.

Influência dos adjuvantes na performance de controle do Mancozeb revela os melhores resultados com IOP

O melhor desempenho, comparado a 17 adjuvantes.

Em trabalho conduzido pelo Dr. Lucas Navarini, comparando o desempenho dos adjuvantes do mercado, destacou-se mais uma vez a Tecnologia IOP com o melhor desempenho, atingido 79 sc/ha. O objetivo foi justamente avaliar qual a melhor resposta do adjuvante na mistura com Macozeb. Todos sabemos a importância dos protetores nas aplicações e conhecemos as dificuldades de aplicação do Mancozeb, mas com IOP, o resultado do Mancozeb é melhor ainda.

Fonte: Dr. Lucas Navarini.

Controle de evaporação

Evaporação mais lenta com IOP em 20 L/ha

No próximo gráfico, pode-se observar o aumento no tempo de evaporação da calda quando é aplicado IOP, comparado a outra fonte de óleo vegetal, mostrando que nem todo óleo possui o mesmo poder de proteção da gota aplicada. Os óleos vegetais metilados não possuem capacidade de controle da evaporação. Este trabalho também mostra a importância de uma concentração maior da calda para conseguirmos proteção. Por isso, a baixa vazão é mais eficiente independentemente de temperatura e umidade relativa do ar no momento da aplicação, salvo aplicações com plantas sob estresse.

Fonte: Dr. Rone Batista.

Controle de deriva

Rendimento no campo e no bolso

Alto controle de deriva é mais um diferencial da Tecnologia IOP que une óleo e adjuvante em um único produto. O gráfico de resultados ao lado, realizados pelo professor Dr. Rone Batista, da UNEP, em seu túnel de vento – equipamento que confere uma avaliação precisa de onde a calda aplicada foi parar e qual a sua concentração ao longo do túnel. A partir do momento em que se adiciona IOP à calda, existe uma alta redução no potencial de deriva, tanto em concentração quanto em distância percorrida. Isso comprova mais uma vez que IOP é rendimento no campo e no bolso.

Fonte: Dr. Rone Batista.

Produtividade da Soja

IOP é maior rendimento na soja

IOP possui comprovadamente a melhor performance de aplicação e consequentemente proporciona o melhor controle dos produtos aplicados que fazem aumentar o rendimento de grãos de soja. Isso foi o que concluiu o trabalho do Prof. Dr. Walter Boller, da UPF, em 2018 onde com a utilização do IOP versus o óleo recomendado pelo fabricante.

Fonte: Prof. Dr. Walter Boller.